INGRESSOS À VENDA - 2º LOTE ATÉ 31/07

2º LOTE

Meia-entrada: estudantes, idosos, PCD, professores das redes estaduais e municipais de SP e aposentados.
Ingresso Social: doação de um livro em bom estado, confira os livros permitidos aqui.

*Não haverá novas quantidades dos ingressos esgotados nos próximos lotes.

Condições de pagamento

O valor pode ser parcelado em até 6 vezes e compras a partir de R$ 1.000,00 podem ser parceladas em até 10 vezes sem juros no cartão de crédito.

3º LOTE

Ingressos

Ícone de Notícia

Notícias

Sou Cosplayer - Homenagem da CCXP

O que é cosplay para você? Nunca ouviu falar? Morre de vontade de fazer, mas nunca teve coragem? Até tem amigos que são? Para nós, é a personificação da nossa paixão por filmes, games, HQs, séries, livros, desenhos, novelas… é uma forma de expressão. Mas ninguém melhor para falar sobre isso do que os próprios cosplayers, não é mesmo? É por isso que hoje, no Dia do Cosplayer, a gente convidou sete pessoas - talvez você já até tenha visto elas na CCXP - que estão acostumadas a viver nossos personagens favoritos na pele, para contar o que significa ser um cosplayer para elas. 



THAÍS JUSSIM


“Eu comecei a me interessar por cosplay vendo os primeiros concursos feitos em convenções aqui no Brasil. Os concursos eram muito amadores e improvisados, mas eu achava incríveis aquelas pessoas caracterizadas como os personagens que eu amava. Ficou irresistível a tentação de fazer cosplay. Meu primeiro cosplay foi a personagem Chocolate Misu de Bakuretsu Hunters, um anime bem antigo, que pouca gente lembra. É difícil pra mim escolher um cosplay favorito, mas alguns têm um valor sentimental muito grande, como o de Sesshoumaru de InuYasha, a Mística de X-Men, a Samus de Metroid e a Hawke de Dragon Age. Pra mim, a história desses personagens é inspiradora, me motiva muito a possibilidade de materializá-los, tornar reais esses personagens ficcionais. A prática do cosplay te ajuda a descobrir outras vocações, a exercitar a criatividade e a experimentar várias outras artes, como a criação de roteiros, atuação, maquiagem, corte e costura e até artesanato. Me orgulho muito de fazer cosplay, porque a prática ajudou a direcionar a minha carreira e se tornou parte importante da minha identidade. Fiz amigos muito queridos e imagino que a minha vida seria muito menos divertida se eu não fizesse parte desse mundo incrível.”

Facebook
Instagram
- Cosplay: Mulher-Gato
- Foto: Bruno Antonucci da Cos+Up



DAVID CHANG


“Eu sou meio suspeito para falar, sou o cara que fez faculdade de música e oficina de teatro na faculdade... Mas acho que o principal é se divertir, se você está numa CCXP no centro da cultura pop, porque não SER a cultura pop, sabe? Toda a jornada de fazer ou encomendar o cosplay, a primeira prova, aprender mais sobre o personagem, conhecer mais gente que participa do hobby e, se você gosta dessas coisas, as fotos, é tudo muito divertido. O processo de fazer a Mulher-Maravilha foi muito legal, mas o Flash - esse foi feito por um cosmaker excelente, Hermes Barreto Neto - que usei na CCXP passada foi bem especial. A reação das crianças ao ver o Flash em carne e osso foi sensacional, talvez porque muita gente me acha parecido com o Ezra Miller.”

- Cosplay: Flash
- Foto: 
CCXP



BÁRBARA DUZZI

“É engraçado contar para alguém que você se veste de desenho animado, mas é algo que eu sempre conto sorrindo. A primeira vez que me vesti de alguma coisa em eventos foi um zumbi de Resident Evil, mas era uma versão que eu mesma inventei, então acho que não conta. Em 2010, sim, fiz o meu primeiro cosplay de verdade: a Vampira dos X-Men. Aquela da primeira versão do desenho com cabelão, lembra? Foi uma experiência maravilhosa. Desde então continuei com o hobby, comecei a participar de concursos e me apaixonei pelos palcos. É um hobby que exige muita dedicação se você mesma for confeccionar o seu próprio cosplay. Mas é tão bom receber o carinhos dos fãs do personagem. E outra parte desse hobby que eu me orgulho muito também é quando visito hospitais ou creches na pele de alguma personagem. Me orgulho porque de alguma forma faço as pessoas sorrirem… desperto bons sentimentos.”

- Facebook
- Instagram
- Cosplay: Tyra de Soul Calibur
- Foto: CCXP


IAGO GARCEZ


“Cosplay não é um simples ato de encarnar o personagem em um determinado evento que você estiver participando, cosplay é você poder trazer à vida aquele personagem que você ama. É proporcionar alegria para várias pessoas, principalmente as crianças, que estiverem no evento. Cosplay pode ajudar com a timidez ou até te levar pra perto daquele ator que você tanto ama, como aconteceu comigo. Graças ao cosplays eu pude conhecer o Will Smith, que além de ser uma inspiração como pessoa, é também o cara que interpreta os personagens dos meus cosplays favoritos, que são o Deadshot e o Will, de Um Maluco Maluco no Pedaço.”

Facebook
Instagram
- Cosplay: Deadshot
- Foto: CCXP




MAURICIO SOMENZARI


“Eu comecei a fazer cosplay em um evento de anime que fui para procurar um VHS da Sailor Moon. Lá eu conheci uns cosplayers e na hora achei a coisa mais incrível do mundo, vi que poderia ser um hobby que une tudo o que mais gosto: trabalhar com confecção de trajes, fotografia, vídeo games e caracterização. O meu cosplay favorito é o Griffith, do mangá Berserk. Eu sonhei fazê-lo por mais de sete anos, e nunca achei que seria capaz. Mas quando finalmente saiu foi uma experiência incrível. Geralmente, eu não busco inspiração em cosplayers, prefiro buscar ideias e resoluções no âmbito das artes. O ilustrador japonês Yoshitaka Amano, o pintor holandês Gustav Klimt e a figurinista Michele Clapton são minhas maiores fontes de inspiração na hora de criar ou dar alguma resolução para um figurino. Por isso, eu considero cosplay um hobby completo em que você pode se expressar por meio de diversa artes, criação de imagem, trabalho manual, desenho, pintura, performance e até música.”

Facebook
Instagram
- Cosplay: Imperador Palamecia de Final Fantasy II 
- Foto: CCXP



GUI DRAGUE


“Bom, eu falo muito uma frase - “dê valor ao seu uniforme” - e é por um motivo. Eu faço parte de um grupo que faz diversas ações sociais em hospitais, chamado Heróis do Bem. Então, usar o traje do Capitão América ou Superman e conseguir proporcionar uma tarde, umas horas de alegria para as crianças ou pessoas que tanto precisam é indescritível. Também é muito gratificante quando você está lá na CCXP, por exemplo, e o pessoal aponta para você e fala “Olha, é o Capitão América!” e corre para tirar uma selfie com o seu cosplay… é muito bom.”

Facebook
Instagram
- Cosplay: Capitão América
- Foto: CCXP



GIU HELLSING


“Meu primeiro cosplay foi a Seras Victoria, do anime Hellsing, e foi por causa disso que eu comecei a usar o apelido Giu Hellsing. Eu não era profissional, nem conhecia os tecidos ou armaduras, muito menos sabia onde encontrar perucas. Mas eu estava tão empolgada para usar o cosplay em um evento que até mesmo fiz (com a ajuda do meu pai) a arma dela: uma bazuca gigante. Usamos o que tinha em casa, até pote de doce de leite. Na verdade, acabei fazendo mais versões da mesma personagem, aprimorando o primeiro cosplay. Aprimoramento vem com o tempo.”

Facebook
Instagram
- Cosplay: Lord/Lady Sith
- Foto: CCXP


Se emocionou com as histórias? Conte a sua usando a #SOUCOSPLAYER nas redes sociais e marque os perfis da CCXP. :)

Nunca fez cosplay ou quer melhorar na prática? Saca só algumas dicas incríveis pra você: 

- 10 DICAS PARA O SEU PRIMEIRO COSPLAY NA CCXP18

- 5 SÉRIES PARA INSPIRAR O SEU COSPLAY